sábado, 28 de abril de 2012

Bordadeira


Dedico o poema "bordadeira" a todas as artesãs  dedicadas a seu ofício. Às mulheres rendeiras do Ceará e do Maranhão, silenciosas e plenas em seu trabalho. Estar perto de uma mulher dessas é sentir o seu harmonioso silêncio. Elas sequer assinam o trabalho que fazem, feito mais pela ancestral tradição do que pelo ego.  Essas mulheres muito têm a nos ensinar sobre uma postura de vida sábia e produtiva, e não é se esganiçando com palavras.  Enfim, uma outra perspectiva que colho da memória sobre mulheres do Estado e da região onde nasci e que, de alguma forma, estão também em mim. 

Ah, a bolinha de croché da foto fui eu quem fiz. Eu faço alguma coisinha em croché, só que a internet não precisava ficar sabendo. Tá bem, agora revelo..

Ótimo feriadão, e upa, daqui a pouco viajo.




Tecelã de versos e 
bordadeira de estrofes:
tricota aliterações
metonímias e absurdos
em gestos ancestrais
e movimentos que a
completam, traduzem
e excedem:

pingos nos is são
contas brilhantes
e vírgulas,
delicadas franjas

palavras de renda pura

na fina seda da
poesia costura
adjetivos
pesponta ilusões
paradoxos imagens

faz poemas que
a cobrem
enfeitam
e aquecem
a nudez
mas nua está
e nua compõe.

(do livro Lilases)

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Ler é ótimo..




Ler é uma das coisas boas da vida.

Compartilho com os amigos algumas dicas para uma boa leitura:

1 – Restringir o acesso à internet, blogs, redes sociais, MSN, e similares. Eu passo apenas três horas por dia na internet e metade delas lendo revistas e jornal.
2 – Meditação. Uns vinte minutinhos duas vezes por dia de puro silêncio e quietude mental são ótimos para turbinar a mente. Se der para deitar e colocar uma pedrinha de ametista entre as sombrancelhas é excelente.  Gosto bastante de cristais e confio muito neles. 
3- Exercícios físicos. Imprescindíveis. Gosto de corrida, hata yoga, tai chi chuan, musculação.
4- Não descuidar dos demais aspectos da vida, e também não ser tragado por eles para que a leitura seja priorizada. Para isso, um pouco de disciplina. Eu não tenho dificuldade alguma em me disciplinar, quando quero, minha vontade é o que domina minha vida. Atualmente, durmo cedo, acordo cedo,  etc, e sobra bastante tempo para ler.


A liberdade mental não tem preço e a leitura nos ajuda a conquistá-la.

Ótimas leituras!

domingo, 22 de abril de 2012


Dia 18 passado foi dia nacional do livro infantil. E, neste final de semana, na Bienal Brasil do Livro, em Brasília, encantei-me no stand de "contação de histórias" e literatura infantil.  Foi emocionante ver o quanto as crianças desta era da informática estavam entretidas com uma história bem contada.  Quando eu era criança, não havia nada de que eu gostasse mais do que uma história bem contada. A literatura tinha o dom de abrir as janelas da minha alma e, de repente, tudo era possível e encantadoramente vivenciável. E aqui minha modesta homenagem a este que na infância (e ainda hoje)  foi um grande companheiro, conselheiro, e ainda pleno de chaves e códigos por onde acesso experiências mágicas, pois nada mais mágico do que um livro.




Letrinhas formam labirintos 
criam minotauros, fadas, 
bonecas falantes, 
reinos submersos, 
príncipes verdes,
espelhos mágicos e 
pés de feijão que 
chegam até o céu. 

Quando letrinhas se unem,
erigem reinos, jardins, 
terras encantadas e sítios
que pulsam em nós. 



Reflexos e Letras de Alice..




Letrinhas se refletiam
no espelho da imaginação
e refaziam as horas que,
ampliadas, abarcavam Istambul,
o agreste Pernambucano ou a
Terra do Nunca.


….......

------ Alice passou por aqui,
em vórtices de letras,  e o coelho
ia atrás.


depois que se lê “Alice”,  os espelhos
nunca mais são os mesmos ----

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Duas qualidades que admiro bastante numa pessoa é a capacidade de administrar bem seu tempo, e a qualidade de quem é um bom pai ou uma boa mãe, o que é uma manifestação maravilhosa de amor. Deixo dois poeminhas para o Wilson Theodoro, o Theo, que tem em abundância essas duas qualidades. O segundo poema vai para Danuza, filhinha do Theo.

Tempo

Senhor da razão,
do sol que se levanta,
dos ciclos que se sucedem,

perder-me de ti,
ai de mim.

 ........

Danuza (a felicidade é azul)

Moça de olhos azuis -
contas de água marinha -
dança em lapis-lázuli:

Bem aventurada liberdade
dos que são felizes.

domingo, 1 de abril de 2012

O Boneco..

Aninha nunca gostou
de boneco João Bobo

Aquele que era só empurrar:
vá, pra ele ir, venha, pra vir.

Era muito, muito estranho,
aquele boneco risonho e
inanimado.

Hoje, desconfio que
João Bobo só queria
ser amado.

Mas que graça tem
algo tão previsível,
tão fácil de manipular?

Uma hora esvazia e
como vai ficar?

Bem melhor amar
gente de verdade...