quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Por amor...

Por amor...
Mande orquídeas
Espalhe bilhetinhos
Pela casa...

Ganhe um brilho novo
No olhar

Ria à toa..

Por amor, olhe o
Sol nascer mais vezes..

Encante-se  mais
duvide menos..
Creia em coisas absurdas..
Por amor, viva intensamente..

Por amor, faça muito..
Faça tudo..
Mas nada perca...

O amor não é para perdedores.

6 comentários:

  1. Esse é daqueles bons para colarmos na geladeira, ou na porta do quarto, ou no espelho do banheiro, para lembrarmos diariamente dessas palavras.

    ResponderExcluir
  2. Para perdedores, não, para os que se perdem, talvez: nas horas, na razão, no ritmo de vida. Amar é elevar o cotidiano a um outro nível de importância. Torna a vida simples um bom caminho. Não se precisa de nada, pois ja se tem tudo.

    Amar: crer nas coisas absurdas. Gostei.

    ResponderExcluir
  3. Jonatan, isso que você escreveu me lembrou um trecho do Eça de Queiróz: "parecia que estava enfim numa existência superiormente interessante...".

    Não gostei lá muito deste final do poema, mas não me ocorria nada melhor na hora e ficou assim mesmo..

    Obrigada pela leitura!

    beijos

    ResponderExcluir
  4. "o amor não é pra perdedores", ótimo o que falou.

    http://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir