segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Marina..





vi Marina riscar, com cetro
de estrelinha,
um nome no ar:

alegria

bem aventurado
quem conhece
    uma fadinha.
..........


cada sorriso
cada olhar
cada palavra

rastros de 
purpurina

porções de
céu qu'ela 
espalha por aí..

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Por amor...

Por amor...
Mande orquídeas
Espalhe bilhetinhos
Pela casa...

Ganhe um brilho novo
No olhar

Ria à toa..

Por amor, olhe o
Sol nascer mais vezes..

Encante-se  mais
duvide menos..
Creia em coisas absurdas..
Por amor, viva intensamente..

Por amor, faça muito..
Faça tudo..
Mas nada perca...

O amor não é para perdedores.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Madame Chiara sabe...

Madame Chiara nunca
Rouba no jogo: as cartas
Sempre são honestas..

Madame Chiara sabe:

Quanto maior a trapaça
Maior a perda...

Trapaceiros são perdedores
Em potencial..

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Madame Chiara, a cartomante do bem...

Madame Chiara
Não amarra
Por amor

 Desamarra..

Onde já se viu
amor amarrar
           alguém...

sábado, 28 de setembro de 2013

A própria luz..


a luz alheia pode
ser um fogo fátuo

a própria luz..

pode ser a
única luz
       real..

Ana Lúcia, 2013


sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Brubru, a sábia..

Brubru sabe bem
Que uma vida
ruim não leva
A nada, ninguém...

Por isso, Brubru
         escolheu
       fazer o  bem...

                        

Ana Franco, 2013...

Brubru mentirinha...

A cada mentirinha que
Brubru contava,
Nascia-lhe um sapo
Debaixo da cama

     Por isso Brubru
engolia muito sapo
 


Ana Lúcia, 2013

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Criação (da série a menina enluarada..)


Soprou um grão de areia com
tanta vontade
      mas tanta vontade

que criou um universo.

Ana Lúcia Franco, 2013

Brubru e o carrapato..


Não é um corvo o que
Brubru tem a lhe fitar
no parapeito da janela

       é um carrapato
           que muda de cor
               de cara de nome
  
    carrapato que parece
              coruja
       quando é lua cheia..

parece besouro quando
a lua míngua
e um grão de areia
           na lua nova.

Ana Lúcia Franco, 2013..


sábado, 11 de maio de 2013

Da série a Bruxa Brubru..


Brubru estende
           o bizoio
no balaio alheio
para dar conta da
     colheita dos outros

não quer saber
do próprio plantio..

acha que planta coisa
boa, a danada...

Brubru é muito engraçada..
         e tem muito e muito 
           a aprender
........

      
Ana Lúcia Franco, 2013





segunda-feira, 29 de abril de 2013

Tarde carioca..


Intenso barulho da cidade

é o mar quebrando
nas pedras do arpoador
a melodia que se impõe:

carícia
       de tarde 
             carioca.

Ana Lúcia Franco, 2013

Rio de Janeiro..


Rio, cidade maravilhosa,
quero-te tanto bem..

aterro do flamengo,
urca, barra, recreio..

...............

brinquei tanto ali
nas pedras do
       arpoador:

era pirata, era sereia,
era eu mesma dentro
de um sonho...

que ainda sonho..

Ana Lúcia Franco, 2013

Brubru, a indecisa..


Brubru não sabe
se vai de saia preta
ou se pula uma espoleta

Se come manga rosa
ou se fica toda prosa

Se vai pela direita
ou se fica onde está

Se escreve um livro ou
se arruma o jantar

Se rodopia na dança ou
se ainda tem esperança

de fazer alguma coisa
por seu próprio bem. 


Ana Lúcia Franco, 2013

Ei, tempo..


ei tempo, menino,
passe mais devagar!

para melhor nos entretermos
com formigas, nuvens e luar

e com todas as maravilhas
desimportantes deste lugar.

Ana Lúcia Franco, 2013

O carrapato alegre


Era para ser um carrapato
                               alegre

mas carrapato nenhum é alegre
não há alegria
       quando se é um carrapato.

Deus nos livre sobretudo
    de carrapatos
     que vivem grudados
                   nos outros.

Ana Lúcia Franco, 2013

Brubru, a bruxa..


Brubru nada nada
e morre na praia
fala fala e nada
         acontece
anda anda e não
       sai do lugar

diz que sabe tudo
e se acha

acha acha

ainda que a vida lhe
mostre: não é 
    bem assim.

Ana Lúcia Franco, 2012

A menina enluarada, III


Desenhou, nas águas
do rio, reflexos de lua

as águas da noite -
enfeitadas de prata -
reluziram, mesmo
sem ser lua cheia.

Ana Lúcia Franco, 2013
….......

sexta-feira, 26 de abril de 2013

A menina enluarada..


desenhou - com giz - uma janela
no tronco da árvore sagrada

(todas as árvores são sagradas)

do outro lado: caramujos, lírios
e uma escada que levava até o céu
e começava nas raízes

olhou para a escada
que se misturava às copas
           
         os pés sujos de lama
o chão coalhado de memórias

a menina seguiu pela escada
            até não se sabe onde.

Ana Lúcia Franco, 2013

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Brinquedos de Deus..


Que belo desfile
das coisas da terra
e das coisas do céu

coisas mais que coisas
                 brinquedos de Deus. 



Ana Lúcia Franco, 2013

O desfile...


penduricalhos do universo
lua, estrelas, planetas
centelhas do grande útero
universal

no pequeno, cristalizo-me
no grande, deliquo-me
......

 
Olhem o desfile
das coisas da terra
e das coisas do céu.


Ana Lúcia Franco, 2013

Trânsito..


Parem tudo para o
trânsito das pequenas
coisas:

formiguinhas, joaninhas
meros detalhes das texturas
                          das flores
e tudo que de miúdo
perambula quase 
                  invisível

pronto para ser
desvendado por
um olhar. 

Ana Lúcia Franco, 2013

Ciranda


Ciranda cirandinha (*)
vamos todos cirandar
a terra é uma ciranda
feita de céu e de mar

vamos dar a meia volta
volta e meia vamos dar

bendita roda 
que nos leva
            a amar

plantas, bichos, minerais
pessoas que se 
    assemelham:
todos dignos de muito amor

em tudo nesta Ciranda
há o signo do Criador.

(*)cancioneiro popular

Ana Lúcia Franco, 2013

sábado, 9 de março de 2013

Crescente




Lua crescente
parece sorriso
de menino grande
que se envolveu 
nos braços da 
                noite

para se encontrar
em outros 
            mundos

tantos sonhos
no tecido da noite

e o menino grande
deixou um sorriso
       todo feito de
                    lua.


Ana Lúcia Franco, 2013

Salada de frutas


As palavras são frutos
que, quando madurinhos,
se desprendem da 
                       imaginação

caem no papel e formam
                                 versos.


Ana Lúcia Franco, 2013

Bom sonhador


árvores não dançam
parece, estão paradas
nem nuvens são
            dançarinas

a menos que se ouse 
sonhar ainda que 
          acordados

……..


 

Ana Lúcia Franco, 2013

A melhor parte


chegar nem importa tanto 
bem melhor caminhar:
subir, descer; cair e
                                  levantar

caminhar
é a melhor  
                    parte


o que aprender sempre há
e é tão bom andar
                   um passinho de
                              cada vez
                    no ritmo
                              do caminho.
                    

Ana Lúcia Franco, 2013

Coisas do tempo


no tempo há
recôndito

         um caleidoscópio

ainda que não
se perceba.



Ana Lúcia Franco 2013


terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

O berço do tempo


De nuvens o berço
que abriga o tempo
criança que se faz
a cada ação, e reage
em crescimento ou
dissolução.

Ana Lúcia Franco, 2013

Um poema muito bonito


Queria escrever, hoje,
um poema muito
bonito

para que das palavras
exale perfumado
jasmim

queria que todo mundo,
hoje, sentisse a alegria
que está em mim.

........

Que me baste só um pouco
de céu, chá de erva doce
e perfume de alecrim.


Ana Lúcia Franco, 2013

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Tão vasto


Jogue fora a régua
de medir o mundo

ele não caberá num
metro qualquer, de
tão vasto que é.

Ana Lúcia Franco, 2013



Olhar



Sempre que se olha
se toca nota de uma
melodia íntima.

Ao olharmos, sempre 
repercutimos um tanto.

....

bom cultivar a
arte de bem olhar.

Ana Lúcia Franco, 2012



Lua no céu


lua no céu clareia
cidade de renda e
de prata

esparge magia

para que pingue um
trisco na paisagem.

Ana Lúcia Franco, 2013