sexta-feira, 26 de abril de 2013

A menina enluarada..


desenhou - com giz - uma janela
no tronco da árvore sagrada

(todas as árvores são sagradas)

do outro lado: caramujos, lírios
e uma escada que levava até o céu
e começava nas raízes

olhou para a escada
que se misturava às copas
           
         os pés sujos de lama
o chão coalhado de memórias

a menina seguiu pela escada
            até não se sabe onde.

Ana Lúcia Franco, 2013

2 comentários:

  1. Ah...suavidade desta poesia rente à terra e à infância! Lindo, Aninha.

    bj

    ResponderExcluir
  2. Oi Aninha, teu olhar é lindo..

    beijos..

    ResponderExcluir