sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Isabelinha e Andréia



Isabelinha


Isabelinha era assim,

nem boa nem ruim

nem planta e nem capim


Isabelinha era calada

ninguém sabia se

alegre, triste ou avoada.


Isabelinha não sorria

ninguém sabia

se morna ou fria.


Isabelinha era a tal,

mas a verdade é

que lhe faltava sal.



Andréia


Andréia usava aparelho no dente

era loira, cabelo comprido

gostava de jogar queimada

gostava de contar vantagem.


Andréia era a mais bonita da sala

a mais rica também

mas matava joaninha

pisoteava passarinho


Para mim, Andréia era muito feia

usava bolsa de couro e

casaco de pele de baleia.


Para mim, Andréia era

uma pequena assassina

dessas de olhar manso

e voz bem fina.






2 comentários:

  1. Muito bom!!
    Sensibilidade na poesia - e 'em' poesia - não significa achar que tudo é bom, e que a cor é rosa.

    ResponderExcluir