segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Quanto jardim

Duy Huynh





quanto jardim
dentro e fora
de mim

tanto a colher
cores aromas
a escolher

tanto de mim
em cada jardim
que ouso florescer.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Na trilha do mar




Na trilha do mar
tem conchinhas
tem pedrinhas

na trilha do mar
tem mistério

ah, fala sério

tem sim!

Imaginário marítimo



Cadê sereia do mar
cadê pirata

tem príncipe verde
no fundo do oceano?

Pula a água viva
que queima

e não teima que
nesse mar não
tem sereia e
não tem pirata

e nem príncipe
verde no fundo

esse mar é feito
o mundo: real.


................










Sereias, Piratas
pérolas no fundo
do oceano,

príncipes, marujos
trazem notícia de
Atlântida perdida:

mar que se soube
nos desvãos do
imaginário.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Jogo do gosto/não gosto




Gosto

de chuvinha fina
de tudo que ensina

de dia ensolarado
de gente boa do lado

de céu de azul anil
de flores e flores mil

de ler um livro bom
de um enebriante som

de sentir em tudo melodia
de chá que aos poucos esfria

de gente simples de verdade
de sorriso feito de sinceridade.




..........

Não gosto

De quem não sabe ficar só
e que não dá ponto sem nó

De gente mascarada
de janela fechada

De língua de trapo
de boca de sapo

De coisa muito azeda
de baratas, ai que meda!





terça-feira, 18 de outubro de 2011

Cardume






renda de cardume
na beira do riacho

vem ver Gabi!

ali debaixo

onde a realidade
faz uma
curva

se confunde
com a fantasia

no espelho do
riacho

em plena luz
do dia.

Ondinhas



Na beira do mar
tem ondinhas :

pula uma, pula duas
pula três

na beira da vida
também tem
ondinhas a pular

uma, duas, três,
quatro, cinco,
seis

ondinhas beiram o
mar e beiram a vida
para que se aprenda
a passar

e mirar o vasto
oceano que
convida a
navegar.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Escolhas







Que o mundo não
te faça desconfiado
confiar é um barato

o sol sempre vem

urde cores e brilhos na
estrada de ladrilhos
que se pode escolher
ao confiar.
…........











deixe amor de
herança numa
terra machucada
onde mais vale a
estrada ensolarada
do bem viver

aqui, se pode
sempre escolher:
basta ter confiança
…..

















De verdade, viva,
ame com vontade

alegria invade
quem escolhe
amanhecer.

sábado, 8 de outubro de 2011

brinco de princesa



distrair os

olhos para

ver quanta

beleza:


anoitece



de brinco

de princesa.


A tal felicidade


De que vale qualquer

coisa se não há

felicidade?


Se a janela

não se abre

se a alegria

não invade.


..........


De que vale

se no íntimo

não se sorri


se for para ter

que seja paz

se for para ser


ah, muito feliz!

...........


feliz, de não

precisar de

nada


mais que uma

noite enluarada.

......


ser com vontade

ser de verdade

assim à porta

bate a tal

felicidade.


sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Borboletário II (onde já se viu?/pensamento)






Onde já se viu
borboleta presa
em alguma flor

borboletinha
vai onde quer

se aninha ao
vento que
escolher.


...............





a borboleta do jardim
mandou notícias pelo
vento e despertou no ar
um lindo pensamento.

Sem pressa

(caminho do sol)



prá quê tanta
pressa, não é
assim que se
começa o dia


.....

se do zênite ao
nadir, segue o
sol pelas mãos
de um menino.

Apure os sentidos




Ouça a música
do vento

a árvore vibra
e todo o mundo

escolha cada
pensamento

apure os sentidos
veja bem fundo

no íntimo de cada
coisa, o universo

aqui e agora
lá fora e em nós.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Da carruagem de Apolo


Beijo de borboleta
no sol, com os cílios,

astro mais parece
de brinquedo.

Apolo, no crepúsculo,
é sempre poeta

de sua carruagem, mais
que raios de sol, saltam
poemas.

sábado, 1 de outubro de 2011

Arte do Sol



alegria invade, enquanto

o sol faz arte


queria voar, de repente,

não podia: asas as tinha


onde, não sabia!